Parti as Cordas da Minha Guitarra

Parti as cordas da minha guitarra.
Cortei-as com um alicate de pontas vibrantes
E despojei-me das notas errantes
Ao rasgá-las de encontro a madeira.

Como eu desejo a condenação!
A culpa toda, inteira,
A responsabilidade primeira
Dos furtos furtivos desses instantes…

Como eu suspiro pela ilusão!
Ó laivos de verdade perdidos,
Ó promessas de temporais sumidos
Nas nuvens altas, tragam-na a mim!

Ó tempo acabado, celebrado,
Leva-me além no teu mastro partido
E deixa-me lá esvaído
Nas tuas lascas agudas, afiadas.

E nesse fim esquecido de mundo,
Lá, onde nem as sombras moram,
Vou recuperar o segundo
De mim que as notas me imploram.

Rui Batista
28/07/2009 02:43:38

Anúncios

~ por Rui Batista em 28 de Julho de 2009.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: