Algumas razões para não se fazer Reviver um Windows

Em verdade irmãos, o Windows merece sem qualquer sombra de dúvidas uma morte dolorosa e horrível com bilhete para as profundezas danadas do inferno. E porquê, perguntais vós? Existe uma variada panóplia de respostas para esta questão, umas de cariz filosófico, outras de cariz ético, outras ainda do campo do puro e simples bom senso, mas, por ser este um blog com um nome “geek” vamos a resposta de ordem tecnológica.

Era uma vez um sistema Windows sem muita tralha. O sistema Windows ao ser requerido para abrir “o meu computador” encravou. Encravou, e como estando no Windows, a solução única é desligar à bruta. Desligou e nunca mais ligou. Blue screen ao iniciar em qualquer modo (segurança, normal, linha de comandos….as 5 ou 6 tretas que la aparecem). E vós perguntais, entraste em histeria certo? obviamente que não, uma pessoa tecnologicamente prevenida como eu tem sempre um Sistema Operativo no computador. Há quem não tenha, aliás em Portugal tal como no resto do mundo os computadores costumam ser vendidos sem tais programas essenciais, costumam trazer o tal do Windows.
Voltando ao que interessa, o Windows morreu. Os dados não porque o sistema operativo consegue, claro, ler partições formatadas em Espécies de sistemas de ficheiros, e como tal recuperar os dados. Copiar dados para local seguro (fora dos domínios de coisas que querem ser sistemas operativos) e, que remédio porque na vida não se pode ter tudo, toca de reinstalar o inimigo. Ou melhor, viver portas meias com ele, isto às vezes tem que se ser hipócrita. E o que é que o cabrãozinho faz? Nada de especial. Só apaga o master boot record (MBR), grub (boot loader) com os porcos e acesso ao Sistema Operativo é o elas! Fora o pormenor de, por qualquer razão ignóbil apagar a partição de dados que possuo, por acaso formatada em NTFS, a tal espécie de sistema de ficheiros. Não a do sistema operativo que é a primeira do disco, sim a última, que por acaso é uma partição lógica. Pormenores, o que valeu foram os backups. E pronto, toca de arranjar um live-cd de um sistema operativo, aproveitar para retirar espaço às partições da tal tentativa de sistema operativo, (o Janelas ou que é…), brincar um bocado com o gparted (editor de partições em condições), repartir os 120GB deste “disco duro” como deve de ser, e, vejam lá, cavar na documentação do grub para se perceber como reinstalar o menino. Bem, e não foi assim tão complicado, toca de montar a partição do sistema operativo em /media/root (sudo mkdir /media/root && sudo mount /dev/sda2 /media/root) e executar um glorioso:

sudo grub-install --root-directory=/media/root /dev/sda

E pronto, lá se perdeu uma tarde por causa de tentativas de sistemas operativos que ignoram pura e simplesmente que um computador existe não para eles mas para o utilizador utilizar como bem entender.

Anúncios

~ por Rui Batista em 27 de Janeiro de 2008.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: